Que Deus nos livre da velha política

Flávia Cysne foi eleita duas vezes prefeita de Mimoso do Sul e é fundadora do Instituto Mulheres no Poder

Nosso problema com a política não são os antigos políticos, mas a velha política. Temos muita coisa positiva do passado. As pessoas tendiam a ter uma só palavra. Compromisso era honra. Era inadmissível uma situação em que o político era descoberto mentindo ou roubando. Era claramente desvio de caráter.

Já a velha política continua viva como nunca. Como ela se dá?​ Prometer o que não pode cumprir, usar de benefícios pessoais para captar eleitores e cabos eleitorais. Sei que é redundância.​

Usar o instrumento de troca pelo voto. Eu te dou isso e você me dá o voto. Ou eu te prometo isso e você vota em mim.

A velha política precisa ser condenada. Rechaçada. Descoberta. Desnuda mesmo.

Só teremos verdadeiros e verdadeiras pessoas públicas quando os pedidos aos políticos forem 100% de interesse público e coletivo. Da mesma forma que os pedidos de voto ao eleitor. Minha humilde sugestão.

Votar com a consciência do que é o melhor para o País, Estado e municípios.​ Exigir dos governantes que todos que têm direito tenham acesso às políticas públicas de qualidade. E não apenas aqueles que votaram no candidato vencedor.

Se sou Prefeita e quero ajudar alguém especialmente, fora do critério da lei, devo fazer com
meu dinheiro e meu carro.

– Ah, mas quando você esteve no Poder, não era sempre assim.​ Podem questionar alguns.​
Verdade. Embora buscasse aperfeiçoar constantemente o sistema, a velha política sempre nos ronda.​

Por que?​ Porque temos que fazer esse acordo de mudança com a população.​ Não adianta querer mudar, depois que se elege.​ Ajuda, mas não resolve.

Um órgão público não pode ficar a serviço da eleição de vereadores, prefeitos, deputados,
presidente.

Princípios básicos regem a função pública:​ “A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência (…).”​ Saiba mais em: https://www.clp.org.br.

Essa é a missão para 2022. Buscar antigos valores e descartar a velha política. Não há outro jeito de fazer política do povo, para o povo e pelo povo. Viva a democracia e a cidadania plena.

*Este texto é de responsabilidade do autor e não expressa, necessariamente, a opinião do Um Social

Deixe uma resposta

Fique tranquilo! Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você está de acordo com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia Mais

Política de privacidade e cookies