“Podemos viabilizar oportunidades por meio da capacitação”, reforça Danielle Laudino

Fundadora do Instituto Laudino, Danielle falou sobre projetos sociais e a importância da educação transformadora

Aos 37 anos, Danielle Erica da Silva Laudino direciona sua vida para transformar a vida de outras pessoas. Formada em Serviço Social e especialista em Administração e Planejamento de Projetos Sociais e em gestão de Políticas Públicas em Gênero e Raça, que resultou no mestrado em Políticas Públicas e Desenvolvimento Local, Danielle fundou, em 2019, o Instituto Laudino que atende crianças, adolescentes, jovens, mulheres e adultos do bairro Divinópolis, no município de Serra, no Espírito Santo.

Ao longo dos últimos anos, Danielle coleciona inúmeros projetos sociais executados e muita vontade de fazer acontecer. Para ela, que sempre atuou na elaboração de projetos e captação de recursos, a educação transformadora é a chave para mudar a realidade das comunidades. “Podemos viabilizar oportunidades por meio da capacitação e formação que terão impactos a médio e longo prazo. É o que podemos fazer para que dê condições hoje para que o nosso público permaneça em sua trajetória de formação”, relata.

“Na minha visão, o caminho da educação é transformador e quando alcançamos êxito não precisamos ser convidados a sair do nosso bairro porque já não temos o perfil do lugar. Devemos permanecer e até voltar para ser a referência que muitas vezes não tivemos. Com nossa trajetória e contribuição com a sociedade de forma coletiva, voluntária, podemos dizer que é possível mudar realidades por meio de sonho, projetos e trabalho para a realização desse sonho” – Danielle Laudino, fundadora do Instituto Laudino

No Instituto Laudino, localizado no bairro Divinópolis, em Serra, Danielle coordena o projeto que atende diretamente 60 famílias com ofertas de oficinas e atividades de educação transformadora. Durante a pandemia provocada pelo novo coronavírus, o instituto chegou a atender indiretamente mais de 400 famílias por meio da distribuição de cestas básicas, máscaras de proteção individual e kits de limpeza.

Durante a pandemia provocada pela Covid-19, o Instituto Laudino também teve suas atividades impactadas pelas restrições de segurança. Segundo Danielle, o projeto se adequou para continuar atendendo os moradores durante o período de isolamento.

“Nossa rotina de atendimento por oficinas era de 2h semanais e durante a pandemia as atividades com o público regular foram suspensas. Neste momento estamos atendendo em média 15h semanais, atendendo com ações emergenciais por App whatsapp, por telefone e pessoalmente quando necessário, informando e orientando quanto aos direitos, leis e acesso a auxílio emergencial do governo, da prefeitura, em dinheiro e cestas básicas de alimentos”, lembra Danielle.

“A pandemia pelo COVID-19, gerou e intensificou a instabilidade econômica em diversas famílias e pensando nisso o Instituto Laudino mobilizou pessoas e recursos, a fim de apoiar as famílias dos nossos assistidos, bem como outras tantas famílias do bairro Divinópolis que passaram a viver em situações de vulnerabilidade social ou que tiveram essa vulnerabilidade aumentada”

– Danielle Laudino, fundadora do Instituto Laudino

Instituto Laudino

Fundado por Obertino Fonseca Laudino, em 2013, quando ainda era conhecido como Projeto Águia Oficina de Gente, a iniciativa ganhou uma nova roupagem em 2019, tornando-se o Instituto Laudino que atualmente é comandado por Danielle Laudino.

“Nas instituições por onde eu atuei eu elaborava projetos e captava recursos para implementação desses projetos e vendo que não havia nenhuma iniciativa social, cultural no bairro em que cresci e me criei, sempre solicitava a abertura de um Núcleo de projeto social na modalidade Serviço de convivência e fortalecimento de vínculos – SCFV no bairro Divinópolis mas sempre ouvi muitas justificativas desestimuladoras”, comenta Danielle.

Segundo ela, a experiência em outros projetos fez com que surgisse uma iniciativa própria para atender a comunidade do bairro Divinópolis. “Assim pensei se eu elaborava projetos (sociais, esportivos e culturas), captava recursos (financeiro, material e humano) e fazia a implementação e execução de tais projetos, prestando contas porque não me dedicava ao ILAU?”, completa.

Diante dessa necessidade de ter um espaço para pensar, planejar e propor atividades que ajudem a transformar a realidade dos moradores foi criado o instituto. “Sem dúvidas, é um espaço que conecta pessoas com propósitos, com disposição e capacitada para pensar e contribuir na construção de novos cenários Social, Político e Econômico”, finaliza.

O objetivo principal é ofertar para os moradores oportunidades de estudos, capacitação e renda, por meio de parcerias com empresas e órgãos públicos. O público-alvo são crianças a partir de 6 anos de idade, adolescentes, jovens, mulheres e adultos.

A sede do projeto conta com duas salas construídas em terreno próprio no bairro Divinópolis, localizado no município de Serra, na Grande Vitória. O instituto funciona atualmente com sete voluntários e oferece oficinas de empreendedorismo, educação ambiental, educação financeira, idiomas, educação para cidadania entre outros.

Como doar?

Danielle comenta que a instituição não conta com recursos próprios, sobrevivendo apenas com a doação e financiamento de voluntários, empresas privadas e órgãos públicos. “Não temos recursos próprios para a realização de nossas atividades e contamos com doações resultantes de mobilizações com pessoas física e jurídica”, reforça.

A fundadora do ILAU descreve que as redes sociais são aliados importantes para arrecadar doações que possibilitem a manutenção do projeto social. Além disso, o instituto também se prepara para pleitear editais nacionais e internacionais de incentivo.

Perguntada sobre como as pessoas podem ajudar o projeto, Danielle ressalta: “as doações podem ser em dinheiro, mas também em materiais de construção, livros para a nossa biblioteca, adoção de uma oficina/contribuir para a realização de uma atividade tanto Pessoa física quanto pessoa jurídica. A conta jurídica do ILAU está em via de efetivação e enquanto isso as doações podem ser feitas pelos canais do Instituto Laudino”, conclui.

Os interessados podem buscar mais informações pelo e-mail: instituto.laudino@gmail.com ou pelas redes sociais do instituto.

  1. Maria da Penha Gonçalves de Souza Diz

    Parabéns Dani sempre te achei inteligente e transformadora, me ajudou muito antes da minha graduação! Parabéns que Deus te abençoe grandemente o seu caminho e sua estrela!

    1. DANIELLE LAUDINO Diz

      Olá Maria da Penha,
      Eu fiiquei muito feliz com as suas palavras.
      Eu te desejo muito sucesso em sua trajetória acadêmica, em sua vida.
      Precisando, estou por aqui.
      Grande abraço!

  2. EROMILDO Diz

    Fico hiper feliz por ver a minha ex colega da graduação em Serviço Social nesse esforço por transformação da realidade social no bairro onde nasceu. Uma esdudante aplicada e esforçada, agora formada, colocando em prática a teoria apreendida nós estudos e na prática da vida. QUE LINDO!

    1. DANIELLE LAUDINO Diz

      Olá meu querido colega Eromildo,
      Muito obrigada por sua mensagem de carinho.
      Muito grata por voce se alegrar comigo com essa oportunidade de compartilhar as Boas Práticas do Terceiro Setor!

      Um forte abraço!

Deixe uma resposta

Fique tranquilo! Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você está de acordo com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia Mais

Política de privacidade e cookies